A Era de Ouro do Pornô, de Zeka Sixx

09 agosto 2016

A Era de Ouro do Pornô

Autor: Zeka Sixx
Editora: Multifoco
Número de Páginas: 157
Gênero: Erótico

Sinopse: Max tem vinte e nove anos e mora sozinho em um apartamento em Porto Alegre. Faz bicos como tradutor e sonha em ser escritor, enquanto passa os dias bebendo, esperando o fim de um bloqueio criativo que o aflige há três anos. Você já leu essa história milhares de vezes, certo? Não exatamente. “A Era de Ouro do Pornô”, primeiro romance de Zeka Sixx, autor do livro de contos “O Caminho dos Excessos” (Edição do Autor, 2015), parte de uma premissa aparentemente batida para se revelar uma fábula maldita, encharcada em álcool, sexo, cultura pop e niilismo. Mais do que Max, o anti-herói central, é a cidade de Porto Alegre, com seus habitantes – do sexo feminino, em especial -, o verdadeiro personagem do romance. O enredo se desdobra como uma montanha-russa, indo do sonho ao pesadelo num virar de página. “A Era de Ouro do Pornô” é uma sátira a uma geração que colocou sobre seus próprios ombros a necessidade de ser criativamente relevante. 



Max vive em Porto Alegre e está prestes a completar 30 anos. Ele viveu alguns anos na Califórnia, e aproveitando seu inglês fluente, trabalha como tradutor. Porém, Max tem o sonho de escrever seu próprio livro, mas um bloqueio criativo o persegue há algum tempo. Em suas horas vagas, Max curte a vida se embebedando e procurando mulheres pela cidade. Max é o típico homem canalha, ele usa e abusa de prostitutas e mulheres que conhece nas noitadas sedentas pro sexo, ele não se importa com a aparência delas, pois há muito tempo ele já não tem um "tipo" preferido.

Ao longo da narrativa, conhecemos as diversas mulheres que entraram na vida de Max e o marcaram de alguma forma. Além de alguns relapsos de memória do seu passado que irá mostrar o motivo dele ter se tornado o homem que é.

A Era de Ouro do Pornô é um livro que traz a realidade dura de um homem que não se importa com o seu amanhã, o importante é apenas o agora, as bebidas e as mulheres garantidas. É o tipo de obra para quem tem a mente aberta, pois a linguagem utilizada é seca e crua, o que pode espantar os leitores mais conservadores, além de ter muitas cenas explícitas de sexo, sem esconder nada. No meu caso a leitura foi extremamente agradável, foi o primeiro livro que li que fala sobre o sexo de uma forma direta, sem enrolação e floreios.


Max vê que sua vida está perdida mas não consegue fazer nada para sair do fundo do poço, ele apenas se afunda cada vez mais. Ele vive nesse mundo de drogas, bebidas e sexo, e isso basta para ele. Ele não tem um propósito de vida, ele apenas quer escrever um livro, mas isso não é o suficiente para ser uma meta que o faça mudar. Max relata seu dia a dia de uma forma direta e clara como se fosse um diário, mostrando ao leitor suas experiências mais bizarras com o sexo e suas faces.

Achei muito bacana que ao longo dos capítulos, o autor trouxe uma playlist para relatar o cotidiano de Max. As músicas são em inglês, mas também tem a tradução para o leitor se sentir familiarizado. A edição do livro está simples e bonita, com uma capa que chama bastante a atenção de uma forma sutil, uma diagramação sem erros e as páginas brancas não atrapalham a leitura em nenhum momento. A escrita do autor é totalmente fluida, e apesar do livro ser bem curtinho, eu poderia facilmente passar horas lendo mais obras dele.

Se você tem uma mente aberta e gosta de conhecer o lado da vida que nem sempre nos é apresentado, acredito que vale a pena conhecer essa obra. O livro é forte e traz palavras atrevidas, como eu já havia mencionado, mas é uma obra totalmente acessível e nos dá um tapa de realidade. Eu adorei e me encantei com essa trama muito bem desenvolvida, acredito que todos que curtem o gênero, irão gostar tanto quanto eu.


18 comentários

  1. Olá Kétrin
    Imagino mesmo que seja um livro que apresenta mais pelo lado de uma realidade dura, e até um tanto insensível, pelo que pude perceber em seus comentários. Que legal sobre a playlist. Confesso que não tenho muito interesse nessa leitura, porém depois de ler sua resenha, acho que é válida sim.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. É um livro diferente e acho que não dá pra esperar nada menos que palavras ousadas, mas com certeza, não sou o publico alvo desta publicação. Talvez, seria interessante para sair da zona de conforto e ler algo diferente.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oie amoreca...
    De cara a capa chama a atenção... porque eu adoro literatura hot, no decorrer da sua resenha fui vendo que fiquei ainda mais com vontade de ler o livro por se tratar não só de literatura hot, mas de uma reflexão bem profunda.

    Parabéns pela resenha e pelas fotos, como sempre arrasando!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  4. Definitivamente não é uma leitura que eu gostaria de fazer. A capa nunca chamaria minha atenção, e quando a sinopse disse que era uma fábula encharcada com álcool e sexo já torci o nariz. Saber que a linguagem é tão seca e crua e as cenas de sexo explícitas só me deu mais certeza de que não quero ler, simplesmente não é meu tipo de livro.

    ResponderExcluir
  5. Olá Kétrin,
    Uma das coisas que me faz querer não ler esse livro é a capa e título. Eles não me chamam a atenção em nada e ouso dizer que até me repelem.
    Entretanto, gostei de saber que o livro é um tapa de realidade e fiquei um pouco curiosa para conhecer o personagem.
    Quem sabe se eu me esquecer da capa e do título eu não curta a leitura?
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Achei muito interessante esse livro por tratar do sexo do jeito que ele realmente é, sem romantismo algum. Acredito que o livro pode chocar algumas pessoas pro demonstrar a realidade nua e crua mas também é ótimo para nos ensinar algumas coisinhas a mais. Gostei muito do tema e espero um dia poder ler também.
    Beijos.
    arsenaldeideiasblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Desconhecia o livro.
    Achei a forma de tratar o tema bem interessante, mas não acredito que seja uma leitura da qual tenha me interessado.
    O título e a capa são bem intrigantes.


    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Apesar de estar familiarizada com um vocabulário mais cru e cenas de sexo explicitas, eu confesso que não achei o livro algo legal de ler, pois parece que o personagem só está relatando a sua vida louca e não tem perspectiva nenuma de mudar, e não gosto disso.
    Mas mesmo assim, ótima resenha

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Há um tempo estou querendo ler essa obra, pois ao saber que o enredo trata do sexo de uma forma mais crua, achei interessante me aprofundar mais no assunto que tem gerado tanto polêmica ultimamente. Fiquei muito intrigada com a sua resenha e espero poder ler em breve.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  10. Oi, Kétrin! Gostei muito da tua resenha, e fico extremamente feliz em saber que curtiste o livro e, principalmente, entendeste o tipo de mensagem que ele quer passar.

    Fico gratificado em saber também que gostaste da maneira como são descritas as cenas de sexo, acho que não vou concorrer ao "Bad Sex Award", hahaha...

    Mais uma vez, obrigado pela parceria e sucesso com o blog!
    Para quem for à Bienal, aviso que o livro terá uma sessão de lançamento no dia 03/09/16, sábado, às 16h, no estande da Editora Multifoco! Estão todos mais do que convidados!

    Beijos,
    Zeka

    ResponderExcluir
  11. Hey!
    Faz realmente muito tempo que um livro não me chama a atenção pelo título, pela capa, pela sinopse, por... Tudo! Parece ser um enredo sensacional, abordando um tema polêmico, e eu fiquei super curiosa pra conhecer. Além disso, também aborda o fato de ele querer ser escritor e o famoso bloqueio criativo, além de algo que eu sempre quis fazer: traduzir. Simplesmente amei conhecer essa história.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, gostei de quando você falou " Tem que ter mente aberta" realmente, para quem já é acostumado com o gênero é super tranquilo de levar esse tipo de enredo e para quem quer começar tem que ter mente aberta para não se assustar e não confundir uma cena hot com um ato escroto. Já tem tempos que estava louca para ler esse livro, mas infelizmente não achava ele nas livrarias aqui per, é uma premissa incrível que faz você até pensar um pouco em algumas coisas que você faz. Parabéns pela resenha adorei estava a procura de uma resenha boa e sem spoiler desse livro e achei ♥

    ResponderExcluir
  13. Ké maravilhosa que saudade das suas postagens, já tinha um tempo que eu não aparecia aqui e gente, tinha esquecido de como cê é ótima. E mesmo tendo horror a esse tipo de livro, eu amei sua postagem hahaha, seu tato para falar dele.
    Parabéns ♥

    ResponderExcluir
  14. Voltando aqui só pra divulgar que o livro está em promoção, com FRETE GRÁTIS no site da Editora Multifoco! Não percam! ;)
    http://editoramultifoco.com.br/loja/product/a-era-de-ouro-do-porno/

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler livros desse tipo, mas fiquei curiosa com a história. Gosto quando parece um diário, pois assim me sinto mais próxima do personagem e esse livro parece ser do tipo que nos faz pensar bastante.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Não me considero conservadora, mas com certeza esse livro não é pra mim. Acho que não gostaria de ler algo que trouxesse uma escrita seca e crua sobre sexo.
    Você soube colocar muito bem os pontos da obra, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Kétrin,
    Adorei a sua resenha e a sinopse do livro. Fiquei bem curiosa com a leitura, deve ser bem peculiar hehe E bom não temos por que colocar o sexo em um pedestal com tantos floreios e meias palavras neh. Adorei a dica!!
    beijos

    ResponderExcluir
  18. Oi, faz muito tempo que eu não leio um livro assim, com a realidade mais crua. Gosto mais dos que me fazem "viajar". Não sei se leria, talvez não. Mas não são muitos os livros nacionais que não são tão idealizados. Acho que seria interessante conhecer uma obra mais "carpe diem".
    Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir