O Papel de Parede Amarelo, de Charlotte Perkins Gilman

30 março 2016

O Papel de Parede Amarelo

Autora: Charlotte Perkins Gilman
Editora: José Olympio
Número de Páginas: 110
Gênero: Drama, Conto

Sinopse: Este clássico da literatura feminista foi publicado originalmente em 1892, mas continua atual em suas questões. Escrito pela norte-americana Charlotte Perkins Gilman, ele narra, em primeira pessoa, a história de uma mulher forçada ao confinamento por seu marido e médico, que pretende curá-la de uma depressão nervosa passageira. Proibida de fazer qualquer esforço físico e mental, a protagonista fica obcecada pela estampa do papel de parede do seu quarto e acaba enlouquecendo de vez. Charlotte Perkins Gilman participou ativamente da luta pelos direitos das mulheres em sua época e é a autora do clássico tratado Women and Economics, uma das bíblias no movimento feminista. Esta edição de O papel de parede amarelo, que chega às livrarias pela José Olympio, traz prefácio da filósofa Marcia Tiburi.


O Papel de Parede Amarelo é um conto que foi escrito pela Charlotte Perkins Gilman e foi publicado pela primeira vez em 1892. Atualmente, ele é considerado um clássico da literatura feminista.

A trama nos apresenta uma protagonista que sofre de algum tipo de doença dos nervos, ou depressão. Seu marido é médico, ele acredita que ela não tem nenhuma doença, que é apenas coisa da sua cabeça, e com isso ele aluga temporariamente uma casa no campo pois ele acredita que a tranquilidade irá acalmá-la. John não permite que ela saia, que ela faça esforços e até a proibiu de escrever. A mulher se sentindo contrariada, vive dentro de um quarto que o marido escolheu, com um papel de parede incompreensível e que lhe causa arrepios.

Os resultados são totalmente o contrário do que o marido previu, com o passar do tempo ela começa a lutar com seus conflitos pessoais e consequentemente, delirar e vir a loucura. Ela se apega fortemente a única coisa em que ela pode confiar e desabafar: o seu diário.


A narrativa é feita em primeira pessoa pela protagonista, com uma linguagem fácil e fria. Ela relata seu cotidiano de uma forma extremamente angustiante, principalmente na descrença do seu marido e de sua família em que ela realmente esteja doente. O fato do marido ter deixado ela presa dentro de casa o tempo inteiro levanta alguns questionamentos, se isso era mesmo para ajudá-la ou não, pois na época as mulheres eram vistas apenas para acompanhar o marido sendo uma boa esposa e uma boa mãe, cuidando da casa e da família. As mulheres não podiam ter uma vida social e muito menos um emprego, elas não tinham escolhas a não ser aceitar o que lhe era imposto pela família.

O conto é curtinho e rápido de se ler, mas não se engane, a história é muito complexa e difícil de se aceitar pelo fato da situação em que a protagonista se encontra. O leitor pode se sentir confuso em diversas partes, tem alguns relatos que exigem muito a atenção. Esse é um conto que eu defino como ótimo, ele relata um assunto importante que mesmo sendo escrito em outra década, ainda assim é muito presente nos dias atuais. Para quem se interessar em uma leitura forte e agradável, dê uma chance a esse livro e se deixe refletir pela protagonista.

18 comentários

  1. Oi Kétrin, tudo bem?
    Também li esse livro recentemente e devo dizer que o conto é mesmo muito curtinho, garantindo uma leitura extremamente rápida. Porém, para a época em que foi escrita, a história é bem marcante e significativa. Ou seja, a autora conseguiu explorar bem sua personagem bem como o idealismo proposto.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi Ketrin,
    eu ainda não tinha ouvido falar do livro, até começarem as divulgações do relançamento, aí tive a impressão que só falavam dele. Eu fiquei curiosa quanto ao que você falou de apesar do livro ser pequeno e curto, o texto é intenso. Tenho quase certeza que irei apreciar!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Kétrin,

    Eu já tinha lido esse livro na versão em inglês e agora tive a oportunidade de lê-lo na versão em português. Esse conto é angustiante mesmo, porque mostra como a sociedade patriarcal/machista/misógina age e como isso reflete na vida de tantas mulheres. Charlotte foi sensacional ao nos contar essa história, que da pontas para tantos questionamentos e discussões. É uma leitura muito necessária para entender os motivos do feminismo existir. :)


    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Adorei! O livro pareceu ser super interessante! :D

    Beijinhos,

    xx, http://neverforgottenmercury.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Recebi o livro da editora Galera record e simplesmente ameiii o presente, ainda não li o livro, mas lendo sua resenha percebi que estou perdendo tempo, não sou de ler sinopse então não sabia que tinha recebido um livro com uma premissa tão rica, complexa e maravilhosa como essa.
    Adoro o tema abordado e realmente vou ler ele em breve.
    Com toda certeza vai ser um livro que vai deixar uma grande lição em minha vida assim como na vida de cada leitor que o ler.
    Adorei saber que o livro é narrado em primeira pessoa e que é rápido de ler ♥

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post. Eu adorei a resenha, mas o livro não é o meu gênero, pois ele é muito pesado. A escrita pode até ser fácil mas história é carregada.

    Infelizmente não gostei, mas se não tivesse lido essa resenha poderia até comprar esse livro futuramente apenas pela capa e sinopse.

    Beijoss, Alice

    ResponderExcluir
  7. Nossa, não imaginava que a história era sobre isso, e agora faz sentido o papel de parede no título. Tema pesado, e as palavras dela no diário certamente são bem reflexivos pro leitor. Fiquei curiosa!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "A Queda dos Anjos", vem conferir!

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Eu li esse livro no final de semana, e fiquei chocada com o que eu encontrei. E pensar que o livro foi escrito há anos, e ainda tem detalhes bem atuais. Foi uma leitura surpreendente, que me envolveu do começo ao fim. Uma ótima indicação.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  9. Nossa, só de ler a sua resenha eu já percebi que o enredo é bem complexo sim e com certeza a leitura se mantém instigante até o final. Eu acho que ficaria apreensiva ou tensa em alguns momentos, mas no geral eu acho que deva ser um livro excelente.

    ResponderExcluir
  10. Parece ser um livro bem intenso. Eu gostaria de ler pelo tema que aborda, o feminismo. Sou grande adepta ao movimento mas não li nenhum livro que retrata situações como nesse livro, tudo que essa mulher passa. A capa é linda! Deve ser bem complexa a leitura mesmo, dado o assunto que trata, bem polêmico pra época que lançou também!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  11. Oi *---*

    Já vi algumas resenhas sobre este livro e sempre são bem postivas. Tenho vontade de ler pelo fato da protagonista ser bem forte e marcante e ainda assim enfrentar alguns problemas. Tenho certeza que ficaria preza a leitura facil facil.

    Bjos
    rillismo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    A sua é a segunda resenha que leio em pouco tempo sobre esse livro e agora fiquei ainda mais curiosa sobre a história, que parece ser muito complexa mesmo. Além disso, gostei de ser um clássico da literatura feminista. Gostei muito da capa escolhida pela editora, que chama atenção sem ser exagerada e ainda combina com o título.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá Kétrin,
    Só de ler sua resenha, é possível notar a complexidade da trama. Acredito que tenha sido muito desenvolvida. Confesso que fiquei bastante curiosa para ler o livro.
    Quero saber o que acontece, pois é muito anti natural (pra mim) um marido agir assim, apesar de sabermos que muitos agem.
    Já anotei a dica e parabéns pela resenha.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oii, Estou com esse livro aqui, mas ainda não comecei. Estou bastante empolgada, pois apesar de ser curto, parece ser bem intenso e tratar de temas que mexem profundamente com o leitor. Estou muito curiosa principalmente pelo tom feminista que é usado nessa história.
    Livro com mulheres forte que dão a volta por cima, sempre ganham destaque comigo. Amei a capa.

    Bjs
    Aline lima
    Sempre Nerd

    ResponderExcluir
  15. Ketrin.
    Essa semana mesmo eu vi uma resenha sobre esse livro é não tinha me interessado nem um pouco pelo enredo. Mas agora descobri que na verdade foi a resenha anterior que não soube contar qual era o enredo da história. E eu pensei se tratar de uma coisa totalmente diferente.
    Hoje lendo sua resenha fiquei e muito interessada com o livro e sua premissa e imagino que deve ser uma leitura angustiante mesmo.
    Já adicionei na minha lista.
    Bj
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  16. Nossa, eu nunca havia ouvido falar nesse livro. Aliás, não lembro de ter lido nada do gênero até hoje. E isso me faz pensar que devo resolver essa situação o quanto antes. A sua resenha já me deixou angustiada em pensar como foi a vida dessa pessoa, imagino que a litura seja igualmente assim. Mas me despertou o interesse.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  17. Olá tudo bem?

    Tenho uma amiga que leu esse livro e se apaixonou perdidamente, desde então quero ler. Saber que você gostou e ainda que a protagonista é uma mulher forte me deixou ainda mais empolgado, porque não tem nada que me irrite mais do que mocinhas tapadas e dependentes.

    Everton equipe Rillismo
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi
    Estou louca para ler esse conto.
    Só em ser um clássico feminista já chamou minha atenção. Adoro personagens fortes e ser mulher naquela época era ainda pior.
    Bom saber que apesar da narrativa complexa, vale a pena ler.
    Oi Camila
    Muito legal a entrevista. Achei a autora muito simpática e sincera. Interessante ela expor que teve depressão e também falar o que acha da literatura nacional.
    Acho importante incentivarmos e concedermos espaço em nossos blogs para divulgação.
    Muito legal ter a oportunidade de entrevista um autor que amamos né?
    Adorei tudo. Vou conferir os livro e que sabe ler em em breve?
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir