Resenha: Cidades de Papel, de John Green

20 outubro 2014


Cidades de Papel  |  John Green  |  361 Páginas  |  Editora Intrínseca


Quentin Jacobsen é um jovem que está terminando o ensino médio, ele tem uma paixão secreta pela sua vizinha Margo Roth Spielgelman, que estuda na mesma escola que ele. Os dois já foram muito amigos quando criança, mas com o tempo acabaram se afastando, Quentin se tornando mais "certinho", quando a Margo virou a garota popular.



Até que certa noite tudo muda na vida de Quentin, quando Margo aparece em sua janela toda camuflada dizendo que precisa da ajuda dele para se vingar de algumas pessoas, e claro, alegando que seria uma experiência muito divertida.

Quentin tem a melhor noite de sua vida, cheia de aventuras e ele finalmente conhece a verdadeira Margo Roth Spielgelman, linda e com seu jeito divertido.
Quentin volta a vida real e no outro dia precisa ir para a escola, mas agora é diferente, ele está ansioso para ver Margo... mas algo estranho acontece quando ela não aparece na escola, e nem no outro dia, e nem no outro...


Margo tem um histórico de sumiços, então seus pais nem se preocupam tanto, pois sabem que ela foge e logo volta. Mas para Quentin é diferente, pois Margo sempre deixa pistas para onde vai, e Quentin começa sua busca atrás dela.


John Green tem uma escrita maravilhosa, ele prende o leitor do começo ao fim, ainda mais com essa história cheia de mistérios. Ele cria personagens inteligentes, fofos e super amigáveis, que fez com que eu me apaixonasse por cada um deles.

Cidades de papel tem a premissa bem diferente de A culpa é das estrelas. Aqui tem muito mistério e aventura, fazendo com que o leitor não fique entediado nem um minuto, apesar do desenrolar do livro ser meio lento, o final compensa muito, mesmo que previsível.

7 comentários

  1. Amei a resenha, estou muito afim de ler esse livro.
    Amei o blog :)
    http://truquenaabeleza.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse livro deve ser demais, já vi bastante resenhas e estou doida pra ler ^^
    Se tem mistério eu já estou dentro, haha :3

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
  3. Para mim este é o melhor livro do John Green! Eu me apaixonei pelo Q e essa narrativa me mudou de verdade. Nunca havia lido um livro tão consistente como este. Adorei sua resenha! Depois apareça no meu blog, se quiser. ^_^

    Beijos da Flô.

    http://blogfloreando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ai eu não gostei desse livro, no momento estou achando o Green muito forçado MESMO.
    Preciso de uma nova obra dele para repensar kkk
    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu estou louca para lê-lo. Está na minha listinha de livros para esse ano. Já ouvi falar super bem. O John escreve divinamente ♥ Estou ansiosa.

    Beijos, flor.

    www.eduardalins.com

    ResponderExcluir
  6. Escrevo para ti...Sabes que é para ti...
    Os nomes não têm cor
    São simples diagramas em conflito
    Os nomes são muda sinfonia de sonata em desamor

    Serei um barco vencendo rotas novas
    Aplanarei as rugas de todas as montanhas
    Vai arder novamente este sofrido coração
    Hoje tive vontade de pintar uma oração


    Terno beijo

    ResponderExcluir
  7. Eu simplesmente amei esse livro, a mensagem que ele manda é de mais. bjus

    Blog http://cantinhodacarolll.blogspot.com.br/2014/10/certificados-criativos-o.html
    Página https://www.facebook.com/pages/Luxuoso-Estilo/175631289312048?ref=bookmarks

    ResponderExcluir