Resenha: Eu pego esse Homem, de Valerie Frankel

31 maio 2014

Livro: Eu pego esse Homem
Autora: Valerie Frankel
Editora: Essência
Páginas: 295


Sinopse:  Apesar da leveza bem-humorada dos diálogos, Eu Pego Esse Homem está longe de se restringir a um "feminismo de butique". O livro tem passagens dignas do Clube da Luluzinha, com cenas hilariantes da luta entre sexos. Mas, por trás da atmosfera de "mulheres à beira de um ataque de nervos". Este livro, de Valerie Frankel, é uma história hilariante, que combina suspense, vingança e muitas revelações. E, por tudo isso, é uma grande história de amor.






Conhecemos Penny Bracket, 23 anos. No dia do seu casamento, ela recebe um bilhete do seu noivo que continha as poucas palavras que estragaria o dia mais feliz da sua vida.

“Querida Penny, não posso levar isso adiante. Desculpe, Bram.”

“Abandonar alguém no altar é um ato tão deplorável, tão covarde, tão imperdoável, que merece a morte. É a mais baixa das baixarias.”

Chocada com o acontecimento, Penny se vê sem saber o que fazer, até que decide dar um showzinho aos convidados e contar o ocorrido, onde ela acaba rasgando cada pedacinho do seu vestido de noiva.

“Mas Penny não estava chorando. Estava rindo (histericamente) de toda aquela comédia. Do vestido de noiva da Barbie. Das duas centenas de brancos elegantes que aguardavam no salão. Dos setenta e cinco mil dólares que sua mãe gastara naquele casamento e não aconteceria. Tudo era engraçado. Uma maneira trágica de aniquilar a alma.”

Como qualquer mãe que faz tudo pela felicidade da filha, com Esther não é diferente, enfurecida com Bram, ela vai atrás dele no hotel e o ataca com uma garrafa de champanhe na cabeça, inconsciente Bram é levado pela mãe da ex-noiva para sua mansão, onde ele é aprisionado e forçado a comer todo o buffet da festa do casamento.

“Haverá algum substituto para o amor materno?, ela se perguntava. Em qualquer idade? Mesmo que artificial? Ela se lembrava de uma vez ter lido que uma mulher sem mãe ou sem filha estava sozinha no mundo.”

Bram não desiste tão fácil, apesar de ele estar sendo entupido de comida e ter engordado alguns quilinhos, ele não se da por vencido e tenta de tudo que é jeito escapar dessa tortura.  Mas será que ele consegue?

“... O que você desejava mesmo era que eu sumisse de vez. E agora me mantém trancado em sua casa. Tenho certeza que você vê a ironia disso.”

Enquanto Penny se consola com sua melhor amiga Vita, Esther está torturando o ex-genro e ainda por cima, tentando distrair o pai dele (Keith), que está á procura do filho desaparecido, e nem imagina que ele se encontra na casa da mãe da noiva!
A capa do livro é maravilhosa, a editora caprichou. O livro é super divertido e ao mesmo tempo intrigante, eu ri com ele do começo ao fim, mas também fiquei muito curiosa por dois motivos: saber o porquê do Bram ter deixado Penny no altar, e saber o que a autora reservou no final do livro, e devo dizer que me surpreendi em ambas.
Eu pego esse homem é um livro hilariante, com um quê de suspense. Onde tem cenas engraçadas e medonhas, onde vemos mulheres a beira de um ataque de nervos e brigas entre sexos!

3 comentários

  1. Adorei a indicação de leitura, assim que entrar de férias vou colocar na minha lista de livros rsrsrs bjos bom final de semana! www.carolmello.com

    ResponderExcluir
  2. Que capa mais linda Kétrin e a premissa me agradou muito, nao conhecia o livro e isso me deixou ainda mais curiosa, nem resenha tinha visto por ai.

    Amei

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  3. Gostei do livro, realmente parece divertir e entreter!
    Beijos

    http://coisasdajuuh.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir